PERSEGUIÇÃO E ASSÉDIO MORAL EM UIRAÚNA

PERSEGUIÇÃO E ASSÉDIO MORAL EM UIRAÚNA
janeiro 19 13:45 2018

Infelizmente os absurdos contra os Agentes Penitenciários da Paraíba continuam Estado afora. E desta vez podemos considerar como sendo “fogo amigo”, afinal não partiu do Governador, do Secretário, do Gerente, nem tão pouco do blogueiro mal informado.

O episódio aconteceu ou melhor vem acontecendo em Uiraúna. E o mais lamentável e revoltante, vítima e agressor são irmãos de farda, embora temporária e momentaneamente o opressor esteja na condição de diretor.

A perseguição e o assédio moral partiu do ASP Diretor Ramon Vieira Pires contra o também ASP Édson.
O referido diretor de forma irresponsável, autoritária e arbitrária determinou aos Agentes da Cadeia de Uiraúna, que estes, nos seus dias de folga, fossem prestar serviços em outras unidades, usando como argumento, que apenas cumpria ordens do gerente da GESIPE.

Tão logo foi comunicado de tal absurdo, o ASP Édson procurou a AGEPEN PB, bem como o Sindicato, tendo sido orientado a não cumprir tal ordem, tendo em vista que o Agente Penitenciário não tem qualquer obrigação, em seus dias de folga, de prestar serviço ao Estado. Tal situação só poderá ocorrer de forma espontânea por parte do Agente e sendo o mesmo devidamente remunerado. 

Os presidentes da AGEPEN e do Sindicato, respectivamente Marcelo Gervásio e Manuel Leite tiveram acesso a um ofício de número 069/2017 enviado pela GESIPE à Cadeia Pública de Uiraúna e no entendimento de ambos tal documento não verbaliza tão pouco autoriza que o diretor coaja seus Agentes a trabalhar “de graça” na referida unidade, nem tão pouco em outra.

Fato que por si só materializa de forma contumaz um repugnante uso do cargo e da condição de superioridade hierárquica do diretor para de forma deliberada e covarde, repito covarde, assediar moralmente seus “subordinados”, usando ainda do expediente de perseguição declarada e humilhante. 

Situação que causa revolta profunda e generalizada dos Agentes Penitenciários da Paraíba. AGEPEN e Sindicato que no dever de proteger seus associados e sindicalizados e principalmente vigilantes na defesa da honra dos valorosos homens e mulheres de bem que compõem o quadro de Agentes de Segurança Penitenciária da Paraíba não tolerarão fatos dessa natureza calados.

Sendo assim estudam protocolar junto ao Ministério Público da Paraíba uma denúncia crime. Paralelamente, intensificarão as fiscalizações, principalmente no Sertão, considerando que denúncias indicam que tais práticas são costumeiras. 

 

AGEPEN e Sindicato de mãos dadas na defesa dos direitos dos Agentes de Segurança Penitenciária da Paraíba.

Escreva um comentário

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Seja o(a) primeiro(a) acomentar!.

Comente

Seus dados estarão seguros! Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceira pessoa.
Todos os campos são necessários.